A Amazônia é minha, é tua, é nossa, vamos lutar por ela!



A Amazônia é uma incompreendida. É regida por uma mentalidade colonial, com decisões tomadas de fora para dentro. E é justamente por isso que sua preservação é um imenso desafio. A política e postura muda ao longo dos anos. Infrações, antes operadas de maneira discreta, estão hoje mais escancaradas, assim como a violência e a truculência em relação às populações indígenas e o pouco caso do governo em relação ao desmatamento, o maior problema de todos, que está em marcha acelerada.


Dia 5 de setembro foi comemorado o dia da Amazônia, e durante a semana toda será celebrada para lembrar a sua importância, mas além disso, para mostrar ao mundo o que está acontecendo com a nossa floresta e os povos que nela habitam. Por que mesmo quando é mostrado diariamente recordes de desmatamento, invasões de terras indígenas a indignação não é coletiva?


Um complicador é a distância, até para a gente que mora em seu território, mas principalmente para o resto do país. Mas para além da distância geográfica, o pior problema é a falta de identificação que temos com a nossa floresta, um problema cultural. Existe uma ignorância muito grande por parte do Brasil, e mesmo na Amazônia, sobre o que é a Amazônia.


Nos oito primeiros meses de 2021, o índice de desmatamento na Amazônia é de 8,2% maior do que o registrado no mesmo período do ano passado, de acordo com o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), dados preliminares da plataforma TerraBrasilis mostram que no início deste ano até agosto foram destruídos 11 milhões de km² da floresta. A destruição pode aumentar ainda mais já que setembro é um mês que historicamente registra mais incêndios.


Outro dado alarmante é o da exploração madeireira na Amazônia, que chegou a 464 mil hectares em apenas 12 meses.


A Amazônia respira e resiste, mesmo a intemperes das mãos humanas, e os únicos que estão a frente de seu resgate e proteção são os originários dessa terra. Mesmo com suas terras sendo invadidas por garimpeiros e madeireiros, os povos indígenas são os maiores protetores de nossa floresta, e é a eles que devemos agradecer a proteção de nossa floresta.


O povo originário vai estar de pé protegendo nossa terra, até seu último sangue, mas o chamamento é para que todos acordem para o mal que está acontecendo a ela.