Associação de Mulheres Indígenas é depredada por garimpeiros


Segue os ataques violentos dos garimpeiros ilegais em Jacareacanga sudoeste do Pará, dessa vez um grupo de garimpeiros invadiu a sede da Associação de Mulheres Indígenas Munduruku - Wakomborum, em Jacareacanga, sudeste do Pará, o ataque aconteceu na quinta-feira, 25 de março, as imagens mostram a violência contra as lideranças que foram ameaçadas de morte e tiveram o seu espaço de luta e organização social queimado. Os criminosos atearam fogo em documentos, quebraram vidros, picharam a fachada do local e danificaram mesas, cadeiras e ventiladores, não escapou nada do patrimônio da associação das mãos dos invasores. O fato violento ocorreu logo após o protesto dos garimpeiros que insiste manter atividades de garimpo ilegal dentro da terra do povo Munduruku, durante o ato eles ameaçaram as mulheres que são contrarias a essa prática ilegal. O conflito começou no dia 14 de março, quando garimpeiros armados invadiram a região do Igarapé Baunilha, próxima a uma das principais bacias que garantem a vida Munduruku, impedindo o acesso dos indígenas em suas terras de origem. O Ministério Público Federal (MPF), que investiga o caso reforçou ainda, o pedido para que a Justiça Federal atue urgentemente no combate à violência praticada por garimpeiros nessa região. Em comunicado, a Associação de Mulheres Indígenas Munduruku, afirmam que já haviam sofrido ameaças por parte dos garimpeiros e que mesmo denunciando, nada foi feito para preservar a vida delas. “Estamos gritando há dias, pedindo para que as forças policiais ajam sobre esse grupo de criminosos que querem devastar nosso território e que ameaçam a nossa própria vida e integridade”, diz o comunicado. O ato violento foi manchete em rede nacional e internacional, no domingo 21 de março o Fantástico exibiu uma longa reportagem falando sobre o assunto e o quanto é preocupante, seguiremos acompanhando o caso e publicaremos mais detalhes. FOTOS: Associação de Mulheres Indígenas Munduruku - Wakomborum