Comissão de Direitos Humanos suspende sessão após ataque de deputados bolsonaristas contra indígenas



O Congresso nacional, historicamente, é manchado de sangue dos nossos parentes pelos retrocessos bancados pelos deputados que valem nossas vidas. Sabemos que Bolsonaro e seus aliados querem a morte do nosso povo, sabemos que enquanto este homem estiver no poder, a vida dos povos originários deste país continuará correndo risco. O que o clã Bolsonarista fez com os indígenas durante a sessão da Comissão de Direitos Humanos da Câmara é a prova concreto de seu ódio contra nós.

Uma comissão feita justamente para tratar a grave crise que o povo Yanomami está passando em seu território, foi transformada em um palco de horrores. Deputados aliados ao presidente genocida aproveitaram um momento de fala durante a sessão para desferir todo seu preconceito contra nosso povo, minimizando a dor dos parentes Yanomamis com suas perdas, chegando ao ponto de duvidar da morte das duas crianças que foram dragadas por maquinário do garimpo instalados em suas terras. A pergunta que fica é: quem financia o ódio deles? Quanto é pago a esses homens, que se sentem a vontade em atacar nosso povo, em frente a demais autoridades, sem nenhum medo de sofrer qualquer represália legal?


Ouvir os absurdos disparados pelos coronéis chefiados pelo governo genocida foi demais para os indígenas presentes na sessão, os parentes Isabel Tukana, Kretã Kaingang e o Cacique Darã levantaram-se da mesa para repudiar e confrontar o que estava sendo dito. Durante a discussão, o Ministro da Justiça, o bolsonarista Anderson Torres, levantou a suspeita sobre a morte das crianças Yanomamis e apoio aos povos Indígenas.


A sessão feita na comissão de direitos humanos foi um reflexo limpo e claro do que esses homens são capazes de fazer contra o povo originário. A violência escancarada, palavras de ódio, racismo, foram tão fortes que foi necessário que os deputados de oposição ao governo tivessem que fazer uma corrente humana para proteger os indígenas de um contato mais violento.


O que não nos admirou foi ver entre os truculentos o Deputado Federal Éder Mauro (PSD -PA), a vergonha do povo paraense, que faz parte do clã de ódio ao nosso povo, e levantou a voz contra os parentes, exigindo que eles saíssem do local e chamando de “índios fake de iphone”, a deputada Vivi Reis (PSOL-PA) teve que interferir colocando-se a sua frente, e respondeu que “Fake é essa tua peruca”.


Este mesmo deputado que ataca a honra do nosso povo, é alvo das investigações, suspeito de participar de um esquema ilegal que estaria utilizando de sua função para exigir vantagem indevida, no valor de 3% dos Contratos de Licitação. Além de ser um fiel conhecido por disseminar fake News nas redes sociais.


É de conhecimento de todos que os Yanomami vêm amargando com um verdadeiro genocídio contra o seu povo. Seus territórios são invadidos com o maquinário do garimpo para explorar suas terras e contaminam seus rios. Seus pedidos de socorro ficaram ainda mais conhecidos durante a reportagem do Fantástico, que mostrou as condições de abandono que os parentes Yanomami sofrem com este governo. Um governo que tem em suas mãos a vida de milhares de indígenas, um governo do extermínio, que é sim o grande responsável pela morte das duas crianças Yanomami.