Dia Internacional da Igualdade Feminina: desafios à conquista da equidade de gênero



Uma luta histórica, a busca das mulheres pelo acesso a direitos civis, condições igualitárias de trabalho e representatividade política permanece sendo uma pauta atual. Definido como o Dia Internacional da Igualdade Feminina, 26 de agosto é uma data que reforça a necessidade de debate e de ações efetivas para que possamos enfim alcançar as mais diferentes esferas da sociedade.


“Nunca se esqueça que basta uma crise política, econômica ou religiosa para que os direitos das mulheres sejam questionados. Esses direitos não são permanentes. Você terá que manter-se vigilante durante toda a sua vida.” (Simone de Beauvoir). Milhares de mulheres pelo mundo sofrem todo tipo de violência somente pelo fato de serem mulheres. Recentemente vimos em todas as capas de jornais, mulheres afegãs apreensivas com a tomada do grupo extremista Talibã ao poder de seu país. Meninas são forçadas a se casar, funcionárias de banco deixam seus empregos e casas de ativistas são invadidas, em uma mensagem clara de que a liberdade dos últimos 20 anos chegou ao fim.


Aqui no Brasil, um dos maiores perigos que ainda cercam a vida da maioria das mulheres é a violência doméstica. Fruto de uma sociedade machista, a violência contra a mulher resulta em números alarmantes de denúncias. Em 2020, segundo o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, foram registradas 105.821 denúncias de violência contra a mulher nas plataformas do Ligue 180 e do Disque 100. As denúncias de violências contra a mulher, de acordo com o ministério, representam cerca de 30% de todas as denúncias realizadas no Disque 100 e no Ligue 180 em 2020.


Os casos de feminicídio no Pará aumentaram 40% em 2020. Segundo a Secretaria de Segurança Pública (Segup), entre janeiro e dezembro do ano passado, 66 casos foram registrados no estado. No mesmo período, em 2019, haviam sido registrados 4712 casos foram registrados. Destes casos, outro número preocupante é o aumento de outros tipos de violência doméstica no Pará. Em 2020, houve 7.241 casos, segundo a Segup. Esse número é cerca de 6% maior do que foi registrado em 2019, quando houve 6.854 casos.


A data deve ser celebrada para comemorar as conquistas, mas também lembrar-nos de que ainda há muito para ser feito sobre o assunto. Além disso, é importante que este dia jamais passe em branco, pois ele é uma oportunidade para reflexão e aprendizado.