Encontro histórico da nação Tenetehar na terra indígena Alto Rio Guamá



O grande encontro dos povos Tembé, Guajajara e Ka’a’po pertencentes a grande nação Tenetheha, que num passado foi só um povo, ocorreu neste fim de semana na Aldeia são Pedro, Terra Indígena alto rio Guamá, no município de Santa Luzia no Pará. Foram 3 dias de encontro, que contou com indígenas dos três povos, autoridades políticas, como o prefeito de Belém Edmilson Rodrigues, o governador Helder Barbalho, secretário de cultura Úrsula Vidal, o deputado estadual Antonio Tonheiro.


O encontro foi marcado pela emoção de reunir essas etnias separadas pela colonização imposta pelo estado brasileiro, houve debates sobre a invasão do território, marco temporal, e principalmente sobre como o povo indígena vai atuar para combater os ataques contra seus direitos.


As atividades entre o povo Tenetehar foi marcado por danças e cantos. Lideranças das Terras Indígenas Araribóia, Pindaré e Alto Turiaçu no Maranhão estiveram presentes com os parentes das terras indígenas do Pará Jeju, Areal e Alto Rio Guamá.



Em uma das plenárias, houve a Articulação das Mulheres Indígenas Guerreiras da Ancestralidade. Em que foi falado sobre a importância da atuação das mulheres nas lutas indígenas, para a garantir a sobrevivência de seu povo e seu território. E se organizaram para somar forças para a 2ª marcha nacional das mulheres indígenas - Originárias da Terra reflorestando as mentes para a Cura da Terra, previsto para acontecer do dia 7 a 11 de setembro.


No último dia do encontro, o nosso prefeito Edmilson Rodrigues esteve presente na aldeia São Pedro. Ele que sempre foi uma pessoa sensível às causas indígenas, e sempre esteve muito próximo do povo Tembé, lutando para que seus direitos fossem garantidos.


O governador Helder Barbalho também esteve presente na aldeia e fez a entrega de 100 cheques do benefício social “sua casa”.


Este foi um dos momentos mais importantes para o povo originário, que está amargando grandes perdas de direitos e suas terras. A união dos povos para que consigam ter seus direitos preservados é uma luta coletiva. Nós somos fruto da resistência e seguiremos juntos para o levante do nosso povo que está por vir.


Esta articulação foi importante para mobilizar o nosso povo para a manifestação que vai acontecer em Brasília, no dia 25 de agosto. Povos de todos as regiões do Brasil irão até à capital federal para acompanhar o julgamento do STF que pode pôr fim à tese do Marco Temporal.