Festival Gastronomia das Ilhas: A potência da comida da Amazônia


foto reprodução / Restaurante filha do Combu

Quem vem ao Pará e come nossas comidas sempre sai com gostinho de quero mais. Nossos cheiros e sabores são conhecidos mundialmente, tanto prova que temos o selo de Cidade Criativa da Gastronomia concedido duas vezes pela Unesco. Por si só, o turismo gastronômico já coloca nossa Belém em destaque. O vai e vem de isopores nos aeroportos diz que os turistas estão levando preciosidades para não esquecerem das experiências que tiveram por aqui. Pensando em divulgar este selo e nossa potência, a Prefeitura de Belém, através da Companhia de Desenvolvimento e Administração da Área Metropolitana de Belém (Codem), idealizou o “Festival Gastronomia das Ilhas” para mostrar todo o potencial gastronômico e turístico da nossa cidade. Além da Codem, o evento contou com a parceria da Belémtur e Universidade da Amazônia.


A escolha do Combu para ser a primeira ilha a receber o festival serve para destacar seu potencial turístico, gastronômico e ecológico. Assim o público compreende um pouco mais da importância da Ilha para o turismo amazônico, mas também faz a comunidade ribeirinha se reinventar para manter vivo o negócio que é tão particular da nossa cultura e região. Distante cerca de 15 minutos de Belém, o Combu recebeu o Festival Gastronomia das Ilhas neste último final de semana (22 e 23), em que diversos restaurantes, ofereceram pratos típicos assinados pelos chefes à um preço individual de R$59,90, com direito a entrada, prato principal e sobremesa.


foto: Ascom Codem / Assessoria de Comunicação

A importância de valorizar e trazer para nossa população o que tem de melhor da nossa culinária é necessário “O evento deixou claro a força do turismo da nossa cidade, Belém é um potencial, e o prefeito Edmilson Rodrigues destacou em seu mandato a potência gastronômica da cidade” citou o presidente da Codem, Lelio Costa.


Pensar em um projeto voltado para a culinária paraense, é falar sobre nossa ancestralidade, é contar nossa história através dos nossos mais diversos sabores para dar aquela sensação de estar em casa e sempre querer voltar.


Cada restaurante que estava participando tinham um prato assinado pelo chefe da casa para ofertar durante o festival. O Remanso da Ilha tinha como prato principal filhote ao molho de camarão; o Combu na Cuia ofereceu o risoto de Caranguejo no Tucupi; o Solar da Ilha em seu prato principal oferecia uma dourada frita com redução de tucupi. A exigência do evento era que todos os restaurantes tinham que mostrar o melhor da nossa colunaria.


As pessoas que foram a ilha do Combu e participaram do evento também tiveram a sua disposição cerca de 30 barcos exclusivos com embarque e desembarque no terminal hidroviário Ruy Barata (Praça Princesa Isabel / Condor) com as rotas dos restaurantes participantes e cardápio.

foto reprodução

E quem aprovou o evento foi a frequentadora da ilha do Combu, Natasha Barros, que contou que ficou encantada com o festival “Eu sempre gosto de vir aqui, trago meus amigos para dar um mergulho no rio e ficar em contato com a natureza para desestressar a semana corrida de trabalho, quando eu soube que teria esse evento eu corri para cá, sabia que seria maravilhoso, juntar comida boa e festival no Combu não tem como dar erro” disse


Lelio costa disse que além da ilha do Combu, o circuito irá acontecer em outras partes insulares de Belém, com objetivo é incentivar o turismo nas ilhas da capital. O evento gastronomia das ilhas é parte de um projeto maior da Prefeitura o “Belém das ilhas”, que vai focar além do Combu, também em Cotijuba, Caratateua em Outeiro e Mosqueiro.


Um evento como este reforça a identidade ribeirinha de Belém e resgata a força da culinária da capital paraense, onde o governo da nossa gente tem o compromisso com a promoção da nossa gastronomia e a valorização das nossas ilhas.