Imazon divulga boletim de desmatamento e Pará lidera ranking de destruição da Amazônia


Vista área do desmatamento na Amazônia. PER-ANDERS PETTERSSON (GETTY IMAGES)

Ontem,20, o Instituto do Homem e Meio Ambiente de Amazônia (Imazon), divulgou mais um boletim alarmante sobre o desmatamento de nossas florestas. De janeiro a novembro deste ano, a Amazônia perdeu 10.222 km² de floresta, esse é o maior acumulado dos últimos 10 anos para o período, sendo 31% superior do que o registro do ano passado. Em outubro fizemos uma matéria especial que mostraram os dados de comparação entre os períodos de janeiro a agosto, que já falava sobre o grande aumento do desmatamento na região.


Acesse (aqui) ao link da matéria


Apenas em novembro, uma área de 480 km² foi desmatada na Amazônia, o que corresponde ao território de Porto Alegre. Com isso, 2021 teve o segundo pior novembro da década, atrás apenas de 2020, quando 484 km² de floresta foram destruídos no mês.


Segundo dados do relatório do Imazon, três estados da Amazônia legal foram responsáveis por 80% do desmatamento na região em novembro, que foram aqui no Pará, Mato Grosso e Rondônia. Porém o Pará é quem chama atenção por ser o estado que lidera o ranking de destruição da floresta há sete meses consecutivos, que registrou no mês de novembro aproximadamente 290 km² de devastação.


Isso quer dizer que o estado do Pará foi responsável por cerca de 60% das áreas desmatadas na Amazônia, quase 26% a mais do que foi detectado em novembro do ano passado. Além disso, 16 dos 20 municípios e assentamentos que mais destruíram a floresta no mês ficam no Pará, o que alerta para a necessidade de ações de combate mais efetivas no estado.


Copy: SAD Outubro 2021 Infogram

Os dados do instituto Imazon também mostram que o desmatamento no mês passado se concentrou em propriedades privadas e assentamentos, segundo os pesquisadores, isto mostra a invasão ilegal de terras públicas por fazendeiros destinadas apenas a agricultura familiar.