Justiça começa a ser feita: Dj Ivis é preso por agressões contra ex-Mulher


O Brasil se revoltou com as imagens de violência feitas pelo Dj Ivis contra sua esposa Pamella Holanda. Quem viu os vídeos divulgados da agressão sofrida por ela em suas redes sociais, se indignou, pois mesmo após a exposição daqueles vídeos, o agressor ainda estava livre. Porém ontem esta história começou a mudar, e está caminhando para o que esperamos pela justiça.


O músico Iverson de Souza Araújo, mais conhecido como DJ Ivis, 29 anos, foi preso na tarde desta quarta-feira (14), no Ceará, A detenção do Dj foi confirmada pelo governador do Estado, Camilo Santana (PT), em suas redes sociais.


Pamella Holanda registrou a denuncia por agressão no dia 3 de julho em Fortaleza, Ceará. No vídeo publicado pela vítima, é possível ver Ivis agredindo a mulher com tapas, socos e chutes. As agressões aconteciam próximo da filha pequena do casal, o que causa ainda mais horror de ver as cenas.


Violência contra mulher


O Brasil registrou 105.821 denúncias de violência contra a mulher no ano passado (2020), segundo relatório divulgado pelo Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. O dado corresponde a cerca de 12 denúncias por hora. Desse total, 72% (75.894 denúncias) se referem à violência doméstica e familiar contra a mulher, incluindo ação ou omissão que causem morte, lesão, sofrimento físico, abuso sexual ou psicológico. Ainda estão na lista danos morais ou patrimoniais.


A maioria das mulheres vitimas são mulheres Negras, com idade entre 35 e 39 anos, O perfil médio das mulheres que sofrem violência, de acordo com os registros dos canais de denúncias.


O que mais dói nessa pesquisa e uma realidade para as mulheres é que, o lugar mais perigoso para nós é a nossa própria casa. Mais da metade das mulheres que sofrem violência doméstica ou são assassinadas, acontecem no ambiente familiar, por seus parceiros ou parentes mais próximos.


Lembre-se, em caso de violência, denuncie!


O Disque 100 e o Ligue 180 são serviços gratuitos para denúncias de violações de direitos humanos e de violência contra a mulher, respectivamente. Qualquer pessoa pode fazer uma denúncia pelos serviços, que funcionam 24h por dia, incluindo sábados, domingos e feriados.