Kamarar wá: Guerreiros e guerreiras Tembé Tehenetehar


foto reprodução rede social

Retomada da cultura, saberes ancestrais, conhecimento sobre suas lutas, foi assim que a juventude do grupo Kamarar Wà do povo Tembé Tenetehar criou para fortalecer seu povo sobre a sua história e tradição. O povo Tembé, assim como milhares parentes Brasil a fora, sofreu com o processo de colonização e tentativa de apagamento de sua cultura. Sendo assim, o grupo Kamarar Wà, que significa guerreiros e guerreiras, nasceu da organização desta juventude que tem anseio de compreender mais sobre sua história, cultura, costumes, línguas, crenças e rituais.


Um dos jovens é Walber També, de 20 anos; é ele um dos organizadores dos encontros nas aldeias. A formação do grupo, para além da retomara da cultura, também serve para identificar futuras lideranças das aldeias, para continuar a luta do povo Tembé.

Hoje o grupo conta com pouco mais de dez organizadores, sendo a maioria deles comandado por mulheres, além de contar também, com a participação contínua de mais de cem jovens, de todas as Aldeias do povo Tembé, que se encontram no Território Indígena Alto do Rio Guamá.


Com o grande crescimento do grupo no número de membros e o grande aumento em participações em eventos, hoje o grupo Kamarar Wà, depende de parcerias para realizar suas atividades. Porém, uma das dificuldades do grupo enfrenta ocorre devido a falta de um fundo financeiro, fazendo com que, as grandes reuniões, entre eles, fiquem reduzidas. Walber ainda ressalta, que com o crescimento cada vez maior no número de componentes do grupo, é necessária a elaboração de um projeto de desenvolvimento, que envolve desde a criação de um espaço mais adequado para a realização dos encontros, das viagens que precisam ser feitas aos municípios vizinhos, em busca de uma maior parceria, e apoio das regiões vizinhas, para contribuir no desenvolvimento, e uma maior qualidade de vida para os dos povos.


Afim de atrair as atenções da população, e consequentemente, uma ajuda maior para a expansão do grupo Kamarar Wà, atualmente o grupo busca desenvolver um projeto envolvendo os temas relacionados à cultura e turismo ambiental na região, realizando assim, de diversas atividades, como: A prática de conhecer os locais na região através de trilhas ecológicas. Além disso, contam em promover os dias de culinária na região, como também o ato da pintura corporal, da dança, artesanatos, entre outros.


Com o apoio de diversas entidades, e setores da sociedade civil, milhares de comunidades indígenas, grupos como, o Kamarar Wà Tembé Tenetehar, podem ter a oportunidade de serem ainda mais reconhecidos e respeitados, no país onde moram.

Hoje, os Tembé Tenetehar reacendem sua ancestralidade para fazer a luta de seu povo, exaltam seus cantos de resistência às marcas das interferências da cultura do homem branco. Seu levante mostra que a força remanescente dos povos originários é a prova de que este país não irá nos apagar.