Mais uma derrota para Bolsonaro: Câmara dos Deputados rejeita PEC do voto impresso



Ontem a noite,10, o Bolsonaro teve que engolir mais uma derrota no governo. A votação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19 que tornaria o voto impresso foi derrotado. Para a PEC ser aprovada, ela precisava de, no mínimo, 308 votos, o que não aconteceu.


Apesar da derrota, não há muito a ser comemorado, ao todo foram 229 votos a favor da proposta. 229 deputados foram a favor da volta ao extinto voto impresso, a favor do retrocesso, a favor dos devaneios de Bolsonaro.


Muitos estavam curiosos sobre como seria o posicionamento de cada parlamentar sobre o voto a favor ou contra a decisão. Algo que chamou atenção, especialmente, foi a forma como a própria bancada paraense manifestou seu voto, mostrando-se bem dividida.


Veja abaixo como cada um votou:


A favor: Éder Mauro (PSD-PA), Eduardo Costa (PTB-PA), Hélio Leite (DEM-PA), Joaquim Passarinho (PSD-PA), Júnior Ferrari (PSD-PA), Olival Marques (DEM-PA), Paulo Bengtson (PTB-PA) e Vavá Martins (Republicanos-PA).


Contra: Airton Faleiro (PT), Beto Faro (PT), Cristiano Vale (PL), José Priante (MDB), Nilson Pinto (PSDB) e Vivi Reis (PSol).


Na semana passada, a comissão especial derrotou o texto do relator, deputado Filipe Barros (PSL-PR), e também rejeitou o texto original, de autoria da deputada Bia Kicis (PSL-DF). A decisão de levar a PEC ao Plenário foi tomada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira, com o objetivo de encerrar a disputa política em torno do tema.