MP aponta que foi homicídio doloso a morte de Isac Tembé por policiais militares


Imagem: Reprodução

A morte do professor e líder indígena Issac Tembé, de apenas 24 anos, vai fazer um ano no próximo 12 de fevereiro. Isac foi assassinado enquanto caçava dentro da terra indígena de seu povo na região de Capitão Poço no Pará, por polícias militares e até hoje a justiça não foi feita.


O caso está sendo investigado Pela justiça Federal e pela corregedoria da Policia Militar do Pará. Na última Terça-feira (11), o Ministério Público do Estado Pará por intermédio do promotor de Justiça da Polícia Militar, Armando Brasil Teixeira, concluiu que se trata de um HOMICÍDIO DOLOSO e por isso deve ser encaminhado “para à justiça comum”.


Ainda de acordo com o Promotor Titular do caso, Armando Brasil, em entrevista ao Portal Roma News, o assassinato de Issac tem fortes indícios de que realmente o disparo da arma de fogo que tirou a vida do jovem, saiu de um policial militar.


O documento oficial do inquérito que investiga o crime, divulgado pelo Ministério Público do Estado do Pará, afirma que o assassinato do Líder foi cometido pelos militares e reforça que os mesmos terão que responder à Justiça Comum, os motivos pelo qual fizeram este ato cruel com Issac. "Vislumbra-se, in caso a possível ocorrência de HOMICÍDIO DOLOSO procedido por polícia militar", destaca um trecho do documento.


Na época o crime revoltou não somente a comunidade Indígena que Issac fazia parte, mas gerou repercussão nacional e internacional já que violências e ataques contra os povos indígenas são constantes no Pará e no Brasil.



Entenda o crime: Isac foi morto no dia 12 de Fevereiro de 2021, pela arma de um policial militar, no local do crime centenas de cápsula de bala foram encontrados, o cenário era de guerra.


O Líder indígena havia saído para caçar com outros indígenas naquela tarde, em Capitão Poço, no nordeste do Estado.


O assassinato ocorreu na fronteira com a Fazenda Boa Vista do então fazendeiro Nédio Lopes, conhecido na região por ser “violento e matador”. A área ainda se compreende como Terra indígena e não Terra de fazenda.


Há séculos lutamos contra a violência do estado e defendendo os nossos territórios, mas o Brasil é um País extremamente violento contra nós. Cobraremos justiça e queremos saber por quê mataram Isac?


justiça por Isac Tembé!