Mutirão Bora Belém – Dignidade para quem mais precisa


Foto: Kamila Canhedo

Mais esperança e dignidade, é este o sentimento das mais de 15 mil famílias que foram neste final de semana (23) em busca do programa de assistência social “Bora Belém. A prefeitura de Belém através da Fundação Papa João XXIII (Funpapa), realizou o mutirão de cadastro do programa que irá beneficiar as famílias de baixa renda da cidade de Belém.


A ação foi realizada em 20 pontos estratégicos da cidade com o objetivo de fazer a busca ativa das pessoas que estejam dentro dos critérios para serem incluídas no programa e, assim, dar celeridade para que mais famílias comecem a receber, ainda no mês outubro, o auxílio municipal destinado a quem se encontra em situação de pobreza e extrema pobreza que foram agravados pela pandemia da Covid-19.


O governo da nossa gente, que tem compromisso com o povo é única capital dentre as demais capitais brasileiras, a contar com um programa de distribuição de renda destinado às pessoas em situação de vulnerabilidade social. Segundo a Funpapa atualmente, mais de oito mil famílias já foram beneficiadas com o Bora Belém, e de acordo com a coordenadoria do programa, a estimativa é que mais de 3 mil famílias sejam incluídas durante a ação que foi feita.


O objetivo do programa é repassar um total de 60 milhões a 22 mil famílias belenenses já inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) que não estão recebendo nenhum tipo de auxílio estadual ou federal no momento.


O olhar mais preocupado com a população que foi duramente atingida pela pandemia é o que faz do programa Bora Belém um sucesso, principalmente quando falamos das mães solos, que são chefes e responsáveis por toda sua família. O programa em sua raiz procura dar as mulheres mais autonomia e dignidade. De acordo com Alfredo Costa, presidente da Funpapa, as cerca de 91% das pessoas contempladas com o programa são mulheres. “O programa traz muita esperança a todos principalmente com o aumento da fome e da miséria” Disse Alfredo.

Foto: Marcio Ferreira

Lembrando que o cadastro realizado para o Bora Belém abre a oportunidade que as mulheres tenham capacitação e independência financeira com o programa Donas de Si, que promove formação profissional às beneficiárias da renda cidadã municipal e funciona como uma extensão do programa.


Durante o mutirão as gestantes, e as famílias de baixa renda com filhos de 0 a 17 anos, puderam comparecer aos locais, mediante apresentação de RG, CPF, comprovante de residência; e para as gestantes, o comprovante de acompanhamento do pré-natal. A ação que é coordenada pela Funpapa, contou com a parceria das secretarias municipais de Educação, (Semec), de Gestão e Planejamento (Segep) e de Cidadania e Direitos Humanos (SecDH).


O Bora Belém é um programa de sucesso, ele tem cara, tem nomes, tem pessoas reais, que precisam de ajuda no momento mais delicado que estamos passando na atualidade. A pandemia tirou além de vidas, as condições mínimas para a sobrevivência de muitos brasileiros. O governo tem por obrigação dar dignidade a sua população, dar condições para acabar com a fome e lutar por essa política permanente de estado, e é isto que vemos acontecer no governo de Edmilson Rodrigues.