Operação da PF prendeu garimpeiros ilegais em Jacareacanga

Os suspeitos são acusados de ataques e incêndios em terras indígenas

Suspeitos de praticar garimpo ilegal em terras indígenas no Pará são presos pela Polícia Federal, à operação ocorreu na última quarta-feira, 16, e teve como alvo os suspeitos de participar dos ataques em série aos povos indígenas, com incêndios em casas de lideranças que denunciavam o garimpo ilegal, e também, pelo ataque a uma base da Policia Federal. Um dos mandatos de prisão foi contra o vice-prefeito de Jacareacanga, Walmar Kaba Munduruku, dos Republicanos, durante a ação os policiais apreenderam armas e munições, além de prenderem em flagrante a esposa e sobrinha do vice-prefeito por porte ilegal de armas.

A série de violência é uma retaliação de garimpeiros depois da operação da PF que destruiu máquinas e acampamentos em áreas de garimpo ilegal em duas terras Munduruku, onde têm cerca de 20 mil garimpeiros invasores. No mesmo dia da operação, em Brasília, o Supremo Tribunal Federal (STF), determinou que a União garantisse medidas de segurança e também de saúde para as populações indígenas Munduruku, no Pará, e Yanomami, do estado de Roraima.

A decisão atende a ação realizada pelas associações indígenas e partidos políticos que relataram vários casos de violência e o risco de contágio por Covid provocados por garimpeiros nessas regiões.