Pará recebe lote com 4.500 doses de vacina contra Covid-19 para aplicar em indígenas



O Pará recebeu ontem, 13, cerca de 4.500 doses de vacina contra a covid-19, o novo lote desembarcou no aeroporto de Belém com imunizantes da AstraZeneca, produzidas pela fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).


As vacinas foram recebidas pela equipe de logística da Secretaria de Estados de Saúde Pública (Sespa). As novas doses serão destinadas aos indígenas atendidos pelos Distritos Sanitários Especiais Indígenas (Dseis), que são vinculadas à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde.


O envio das doses deve ser feito ao longo dessa semana por vias terrestre, aérea e fluvial, e contará com o apoio da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup).


Uma vez que as vacinas cheguem aos territórios indígenas, deve ser feita a fiscalização para que o imunizante vá de fato para os povos originários, a preocupação se deve pelo escândalo que ocorreu em junho deste ano, quando lideranças indígenas denunciaram que ao menos 106 doses do imunizante Coronavac destinadas à terra Yanomami foram vendidas a garimpeiros em troca de ouro por servidores da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), ligada ao Ministério da Saúde.


Outros desvios também ocorreram nos meses de março, abril e maio deste ano. De acordo com a cotação do grama do ouro, a venda de imunizantes pode ter gerado cerca de 500 mil reais por 106 doses que deveriam ser aplicadas nos Yanomami.


Embora a vacinação dos indígenas seja prioritária e foi um dos primeiros grupos a serem vacinados quando se iniciou o calendário de vacinação no Brasil, os níveis de imunização ainda se encontram muito abaixo do esperado, a nova remessa de vacinas chega em um ótimo momento.


O vacinômetro da Sespa indica que, até esta quarta-feira, 13, o Pará já recebeu 11.179.475 doses de imunizantes do Ministério da Saúde e outras 450 mil doses do Instituto Butantan, de São Paulo, por meio de aquisição direta do governo do Estado.


No Vacinômetro a população pode acompanhar o quantitativo dos tipos de vacina recebidos pelo Estado – Astrazeneca, Coronavac, Pfizer e Janssen, bem como a quantidade e o percentual de vacinados, doses aplicadas e desempenho dos 144 municípios paraenses.