Por que Bolsonaro declarou mais uma guerra, desta vez contra a vacinação de crianças?



reprodução: Jornal gazeta


O negacionismo do governo Bolsonaro vem atrasando a autorização da imunização de crianças de 5 a 11 anos, não basta ser o único líder político desencorajando a imunização em massa contra a covid-19 em todo o país, desta vez Bolsonaro contesta a eficácia da vacina em crianças, e mais, diz desconhecer a morte de mais de 300 crianças que o próprio Ministério da Saúde de seu governo já registrou. A fala do presidente fere os direitos humanos e desrespeita a dor dessas famílias que perderam suas crianças para a doença. Mas afinal, o que Bolsonaro disputa para ser contra a vacina? Qual o motivo de tanta guerra em razão da vacinação dos pequenos?


O que Bolsonaro está querendo fazer é óbvio, através da grotesca ideia de "imunização de rebanho" continuar ajudando no extermínio biológico, sendo um auxiliar fortíssimo da COVID-19 no Brasil. Desde o começo da pandemia a postura do presidente foi se colocar contra a ciência e combater o trabalho dos cientistas com seus comentários que desestimulam a vacinação e criam dúvidas em relação a sua eficácia para combater a covid-19, que já matou mais de 620 mil brasileiros.


Bolsonaro fez pouco caso das mortes, tirando o foco da situação que o Brasil vem passando. Ele fez o que pôde para não comprar as vacinas, questionando sua eficácia, e criticando a pressa que os técnicos de saúde teriam em adquirir o imunizante. Só não vê quem não quer, a guerra que Bolsonaro criou é silenciosa em vários aspectos, mas em muitos faz questão de gritar, e essa campanha contra a vacina tem sido muito eficaz, milhares são os que não querem se vacinar devido a campanha de Fake News que por incrível que pareça repete a mesma coisa que o presidente fala. Essas campanhas contra a ciência e contra a vacina usando até mesmo a religião das pessoas ou a espiritualidade dos indígenas por exemplo, as informações falsas chegou nas aldeias e por isso, existe a resistência de muitos povos em não se vacinar. Se esse era o plano do presidente ele deu certo, Bolsonaro acelerou a morte de 620 mil brasileiros.


Desta vez, o presidente, questiona, duvida e dissemina informações falsas sobre a vacina das crianças, mais um indício de que a guerra biológica ainda não acabou, voltando todo o seu discurso sabotador de que a vacina pode ser um perigo para os pequenos, em pauta. Mais uma vez atacando a ciência, que se mostrou eficaz até aqui e conteve o avanço de casos graves.


Nesta semana, em live na sua rede social, o presidente atacou a Anvisa e ameaçou expor alguns técnicos do órgão, coincidentemente em seguida a deputada bolsonarista Bia Kicis vazou dados pessoais de três cientistas da Anvisa que estão na linha de frente em defesa da vacina de crianças. Bolsonaro também chamou os técnicos da Anvisa de “tarados por vacina”. A fala repercute e deixa bem claro, a continuação da guerra, exterminar a população brasileira lhe interessa mais, e desta vez o foco são as crianças.


Ainda que tenhamos um sabotador assíduo e pertinente em acabar com a vacinação de todas as formas possíveis, usando recursos baixos e mesquinhos como propagar fake news e promover discursos asquerosos, contra a vida dos brasileiros e ferindo a memória de todos aqueles que se foram, em decorrência deste vírus ingrato e voraz. A imunização avança nos quatro cantos do Brasil com a luta da ciência e apoio de governadores e prefeitos.


Quanto ao objetivo da ANVISA e dos seus técnicos, em vacinar crianças é claro e simples garantir a saúde e bem-estar da população, e promover a vacinação de crianças contra o Coronavírus é um ato de respeito e zelo pela vida. Jair Bolsonaro não conseguirá avançar com o seu plano, não contra nossos filhos, vamos nos vacinar e vacinar nossas crianças, a vacina é a única forma de sairmos desse cerco, que anualmente parece piorar com o surgimento de nossas variantes, porém a vacina veio para frear isso.