Povo Tuxá, de Pernambuco, abre financiamento coletivo para construção de biblioteca



O saber é o caminho para o futuro, pensando nisso, o povo Tuxá, que fica no sertão de Itaparica, a cidade de Itacuruba abriu um financiamento coletivo para a construção de uma biblioteca na comunidade. O território ancestral contém diversos povos e comunidades ancestrais, como os Pankará Serrote dos Campos, Tuxá, Pajeú, Quilombo dos Poços dos Cavalos, Quilombo Negro Gilu e o Quilombo Ingazeira.


A Residência Multiprofissional em Saúde da Família, com ênfase nas populações do campo, está propondo ações, articuladas entre movimentos sociais, residentes e povos que decidiram criar uma campanha - com foco no acesso à saúde e à educação de forma integrada.


Uma dessas ações é a construção da biblioteca do Povo Tuxá. Para estruturar a iniciativa, foi aberto um financiamento coletivo para arrecadar doações para arcar com os gastos dessa construção, incluindo toda a estrutura necessária para o funcionamento da biblioteca, como móveis, livros, cobertura do local, entre outras coisas.


O financiamento tem três metas. A primeira, no valor de R$ 2.200 será destinada para a construção e montagem da biblioteca; a segunda, de R$ 5.000 será a expansão da biblioteca e compra de novos materiais e livros e a última, de R$ 20 mil, tem como objetivo a construção da primeira escola do povo Tuxá.


Além da vaquinha, a campanha também está recebendo a doação de livros infanto-juvenis, literários e outros materiais com temas voltados às populações do campo e comunidades tradicionais.


Essa ação é uma luta também uma forma de resistência, o território está hoje em uma disputa, pois lá é o lugar escolhido pelo Governo Federal para a construção de uma usina nuclear no Nordeste, que vem causando conflitos e expulsando os povos dos territórios e expropriando os modos de vida possíveis.