Primeiro dia de marcha das mulheres indígenas em Brasília




E começou a segunda edição da marcha da mulher indígena, as delegações com as guerreiras de todos os cantos do Brasil chegaram ontem, 07, em Brasília com sede de luta pelo nosso povo. A estimativa da organização é de que 4 mil indígenas irão fazer parte da marcha de mais de 150 povos, mas pelo que estamos vendo já superamos essa expectativa. O evento está sendo promovido pela Articulação Nacional das Mulheres Indígenas Guerreiras da Ancestralidade (Anmiga) e as atividades da programação vão se concentrar em frente ao estádio Mané Garrincha, na área central da capital federal.



Nós chegamos a Brasília em meio a uma horda de manifestantes pró- Bolsonaro, a capital estava sitiada por apoiadores da ditadura, de pautas antidemocráticas e de pensamentos retrógrados, que usaram o dia da independência do Brasil como palco para seus anseios mais vis. Por este motivo, o acampamento que antes estava previsto para ser recebido no complexo de cultura da Funarte, foi realocado para frente ao estádio Mané Garrincha, e para a nossa proteção, foi feito um cinturão humano de indígenas e não indígenas, apoiadores da luta, ativistas sociais para tentar garantir o máximo da proteção das pessoas que estavam no local.



Hoje é esperado o julgamento do Marco Temporal, e a organização instalou um telão para que a gente acompanhe de dentro do acampamento, pela nossa segurança, já que muitos manifestantes pró-Bolsonaro ainda estão em Brasília. Caso volte à pauta da Corte o Marco Temporal, nesta quarta-feira, 8, os ministros devem decidir se é válida a tese, e o que for decidido hoje dará o tom do que pode acontecer durante a programação da marcha das mulheres indígenas.



Confira a programação de hoje:


08/09

II Fórum Nacional de Mulheres Indígenas 08:30h – Memória Póstuma de Raissa Guarani kaiowá e Daiane Kaingang 09:00h – Ritual de abertura das mulheres Biomas 11:30h – Audiência – diálogo com as mulheres biomas sobre acesso ao direito: Violência, direitos Sociais e direitos humanos 12:00h – Orientações gerais e acordo de convivência entre a ANMIGA’s 13:00h – Marcha para o supremo acompanhamento julgamento.