Propostas de Nice Tupinambá para o setor cultural



Problemática: A crise provocada pelo Coronavírus agravou a situação econômica do setor cultural que já vivia em dificuldades. Essa crise iniciou em 2016, que extinguiu o Ministério da Cultura e promoveu diversos cortes em seu orçamento. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), por exemplo, desde 2018, cerca de 5,2 milhões de pessoas dependem totalmente das atividades culturais, comumente ligadas a atividades informais.


Proposta para o setor cultural: Trabalhar pela regulamentação dos profissionais de aparelhagens, djs, técnicos de som, montagem e luz. Apoio aos movimentos culturais como toadas, grupos de pássaros, quadrilhas e festivais musicais, além de incentivo para criação de comitês populares de cultura e da retomada do Ministério da Cultura.


Problemática: A toada é uma manifestação muito importante para a Amazônia ao mostrar uma singularidade cultural. Belém tem uma atuação muito grande desses grupos. De acordo com a Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), o município tem atualmente, em atividade, mais de dez grupos de toadas que se apresentam em programações culturais. Mas é sabido o quanto é difícil se fazer cultura. Os movimentos têm uma série de obstáculos para se fazer valer a propagação do movimento, sobretudo, do financeiro.


Proposta para o setor cultural: O fortalecimento de movimentos culturais como o de Toadas é fundamental e por isso devem receber apoio com a destinação de emendas parlamentares e auxílio para criação de projetos e cursos. A cultura popular é fomento de lazer, história e emprego e renda para o nosso povo.

Posts Relacionados

Ver tudo