Setembro Amarelo: Mês de prevenção ao Suicídio



Entramos hoje no mês de setembro, e a bandeira que se levanta neste mês é sobre a saúde mental. Setembro é dedicado a prevenção do suicídio, com a data dedica no dia 10, mas é um mês inteiro para se falar de saúde mental. No Brasil são 12 mil casos de suicídio ao ano e mais de 1 milhão de casos no mundo, o principal motivo é a depressão, bipolaridade e o uso excessivo de substancias.


Ainda tem muito tabu acerca do tema, mas precisamos falar e falar sobre a saúde mental, principalmente dos jovens que são os mais afetados devida a vida cheia de exigências e mudanças. É necessário ser conversado sobre suicídio, principalmente para evitar perdas repentinas, a importância também de conhecer e mobilizar a sociedade da importância de estarmos atentos a sinais que podem levar uma pessoa cometer tal ato.


Por que setembro Amarelo?


Em 2003 a Organização Mundial de Saúde instituiu o dia 10 de Setembro como o dia da prevenção ao suicídio e a cor escolhida foi a amarelo, devido a história de Mike Emme, um americano, que apesar da sua personalidade amável e carinhosa, com 17 anos cometeu suicídio, o tal ato chocou a família e os amigos que nunca suspeitaram que o rapaz passasse por alguma dificuldade. O seu funeral foi marco pelo um ato simbólico com vários cartões e fitas amarelas, com a seguinte frase “se precisa, peça ajuda”. A cor amarela é uma homenagem a Mike que tinha um Mustang 68 que ele mesmo reformou e pintou de amarelo. Então a cor amarela é utilizada nas campanhas de prevenção ao suicídio.


Fatores que podem aumentar os riscos:


Transtornos como depressão, ansiedade, esquizofrenia, bipolaridade e vicio podem levar ao suicídio, mas também eventos muito traumáticos com a perda de alguém, a perda do trabalho, ou até mesmo caso de abusos sexuais podem levar a tal ato. O importante é manter o diálogo com essas pessoas, oferecer ajuda e todo o apoio que elas precisam para passar por essa fase difícil de suas vidas. E muitas das vezes de forma silenciosa, é preciso prestar atenção nos detalhes como a tristeza excessiva, o dialogo mórbido e as tentativas de fuga.


Se você se sente assim ou conhece alguém, procure ajuda no CRAS da sua cidade, profissionais da psicologia capacitados para ajudar ou até mesmo o CVV 188, um espaço reservado para desabafar e pedir ajuda. A vida é muito importante por isso devemos lutar por ela.