Três anos sem o estimado Mestre Nazareno Tourinho


Imagem: Arquivo pessoal família Tourinho/Reprodução

Se estivesse vivo, o imortal Nazareno Tourinho celebraria neste seis de dezembro, 87 anos de sua prodigiosa existência. Ele foi um desses homens imprescindíveis de quem tanto falou Bertolt Brecht. Não apenas por lutar a vida inteira, mas por dedicar cada segundo de sua trajetória a espalhar a rebelde mensagem de um mundo dá mais plena felicidade humana.


O genial e grandioso dramaturgo Nazareno Tourinho deixou este plano terrestre em 2018. E mesmo três anos sem sua presença física, sua voz libertária continua ecoando. Homem do teatro, poeta, escritor e legítimo artista do povo, muito escreveu sobre a Cabanagem, nos inspirando sobre liberdade e resistência. Não atoa que os cabanos e as cabanas o saúdam e congratulam até hoje.


Nazareno Tourinho foi um dos mais consagrados escritores do nosso Estado. Homem de teatro, poeta, escritor da terra, Nazareno nasceu em Belém no dia 06 de dezembro de 1934. Logo cedo, ingressou na cena do teatro escrevendo peças memoráveis, as quais emprestam para a cultura paraense um status de grande núcleo da cultura nacional das artes cênicas. Ainda jovem, Nazareno foi citado como um dos novos autores da literatura brasileira, ao lado de Ariano Suassuna, Dias Gomes entre outros. Membro da Academia Paraense de Letras, para a qual foi eleito antes de completar 35 anos de idade.



Imagem: Registro feito em 2016 durante homenagem que Nazareno Tourinho recebeu na Câmara Municipal de Belém.

Em sua notável trajetória dentro da literatura brasileira, com particular cuidado para nossa região, Nazareno Tourinho foi homenageado com diversos prêmios e vários títulos honoríficos. Como parte deste reconhecimento, ainda como deputado estadual na ALEPA, Edmilson Rodrigues apresentou em junho de 2011 um projeto de lei que institui a Comenda do Teatro Paraense “Nazareno Tourinho”. Alias, Edmilson e nosso mestre Nazareno foram grandes amigos, compartilhando afeto e luta.


Que sua semeadura prossiga e vire rubro estandarte nas mãos dos jovens insubmissos. Seus poemas, suas peças, sua palavra sirvam de antídoto contra a maré da acomodação e da covardia. É disso exatamente de que precisa nosso povo para manter a esperança como pão de cada dia e prosseguir na caminhada rumo à terra sem males.


VIDA E OBRA


Nascido em Belém, Nazareno Tourinho ocupava a cadeira número 2 da APL desde 1969. Ele é autor de peças como ‘Nó de Quatro Pernas’, ‘Severa Romana’ e ‘Fogo Cruel em Lua-de-Mel’.


Algumas de suas peças, como ‘Nó de Quatro Pernas’ e ‘Fogo Cruel em Lua-de-Mel’, foram encenadas no Rio de Janeiro e São Paulo por companhias profissionais, dirigidas por figuras famosas do teatro brasileiro e da televisão, como Cláudio Corrêa e Castro e Wolf Maia.


Ele também teve obras espírita publicadas. São dele, por exemplo, ‘Gotas de Espiritismo’ e ‘ A Ética Espírita sem Misticismo’. Na capital paraense, fundou a Casa Espírita de Allan Kardec.


Ainda jovem foi citado por Zora Seljan ao lado dos autores nacionais mais promissores, como Dias Gomes e Ariano Suassuna.