Urgente: Garimpeiros ilegais impedem saída de indígenas de Jacareacanga



Foto: Povo Munduruku. (Anderson Barbosa/Associação Indígena Pariri)

Existem ameaças de incêndio em pontes e ônibus que impossibilitam o trajeto dos indígenas até Brasília


Como se não bastasse os diversos ataques sofridos pela comunidade Munduruku, em Jacareacanga, sudoeste do Pará, os originários estão sendo impedidos de circular pela região, e principalmente de sair para ir a luta por seus direitos, um bloqueio foi criado por criminosos que estão barrando a ida dos indígenas a Brasília, para se juntar aos parentes que protestam contra o Projeto de Lei (PL), 490/2007 que visa dificultar o processo de demarcação de TI. O PL aprovado invalida todo sangue derramado por ancestrais que lutaram para garantir o direito ao ambiente de vivência, além de afrontar decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) e a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho (OIT).


Nas redes sociais os indígenas denunciam as ameaças que estão sofrendo mediante a tentativa de sair do território, segundo relatos os caciques estão presos no município, impedidos de exercer o direito garantido para todos, o de ir e vir. Na manhã da última quarta-feira, 9, um ônibus que levaria um grupo de indígenas até Brasília, foi atacado por criminosos que furaram os pneus do veículo e ameaçaram atear fogo no mesmo caso o motorista saísse da cidade.


Os indígenas estão refém dos invasores que insistem em permanecer em TI, mesmo depois da ordem de retirada deles do local, a ponte de acesso que liga o município as outras regiões corre o risco de ser queimada por garimpeiros, na tentativa de vetar a saída de lideranças indígenas do local, dessa forma não haveria manifesto contra o projeto de lei, que seria aprovado sem que a população mais atingida lutasse para a derrubada do texto.


“Responsabilizamos o estado Brasileiro caso aconteça alguma coisa com todos. Não nos protegem em situação de ameaça constante, não garantiram reforço policial no município de Jacareacanga. Nunca teve reforço policial no município e continuamos sendo atacados, mesmo informando, pedindo policiamento, pedindo apoio. Queremos manter nossa viagem, para denunciar, para falar com os ministros. Estamos em um grupo grande do nosso movimento de resistência Ipereg Ayu, sofrendo ameaças aos arredores de Jacareacanga, sabemos que eles estão armados e nós não. Informamos a todos o que estamos vivendo para que possam nos ajudar”, relata o comunicado das Organizações do movimento Ipere Ayu.


O histórico de ataques aos originários tem aumentado nos últimos tempos, o incentivo vem do governo que insiste em criar abertura para entrada de garimpeiros ilegais no local, em contrapartida os indígenas lutam pelo direito à terra e preservação dos seus territórios, que cada vez mais é colocado na linha de ameaça dos criminosos, que têm agido de forma violenta contra a população indígena. O desgoverno que atualmente está à frente do Brasil tem refletido em toda insegurança vivida pelos povos originários, que incansavelmente resistem às tentativas de apagamento.