A Amazônia segue tendo recordes de desmatamento e registra 2ª pior temporada em cinco anos


A amazônia segue a níveis alarmantes de desmatamento. Em pesquisa divulgada pelo Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), o acumulado de alertas de desmatamento na Amazônia foi de 8.712 KM². É a segunda pior temporada em cinco anos, faltando um dia para fechar o ciclo, que vai de agosto de um ano a julho do ano seguinte (os dados disponíveis vão até o dia 30 de julho).


De agosto de 2020 até o dia 30 de julho deste ano, houve alerta de desmatamento de 8.712 km² de área da floresta, uma área que equivale a mais que cinco vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Entre agosto de 2019 e julho de 2020, esse número tinha ficado em 9.216 km².


Aqui no Pará foi o estado com maior área da Amazônia Legal sob alerta de desmatamento em julho: 498 km². Na temporada passada, o estado concentrou quase metade de todo o desmatamento na Amazônia Legal, segundo o monitoramento do Prodes.


Em segundo lugar veio o Amazonas, com 401 km² sob alerta. Depois vieram Rondônia, com 222 km², e Acre, com 152 km². O Mato Grosso teve 118 km² sob alerta, o Maranhão, 21 km², Roraima, 1 km², e o Tocantins, 1 km².


O desmatamento está em curso com o aval de um governo que legitima esse tipo de atitude. Estão sendo aprovados PL´s que visam acabar com a Amazônia e com os povos que vivem nela. Esses registros altos de desmatamento são resultados de um total descaso com preservação ambiental.