O Brasil está passando fome!



A dor da fome é uma das mais angustiantes e tristes, ela não é apenas fisiológica, não é somente o estômago pedindo por alimento, ela te leva ao sentimento de impotência sobre o próprio corpo. Hoje milhares de brasileiros passam por essa situação, alimentos que eram considerados descarte estão nas prateleiras de supermercado como ossos e pés de frango, para serem consumidos.


De acordo com dados das Organização das Nações Unidas (ONU) e Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil voltou ao mapa da fome e a insegurança alimentar quase dobrou. Entre 2018 e 2020, a fome atingiu 7,5 milhões de brasileiros. Já entre 2014 e 2016, esse número era bem menor: 3,9 milhões. Em um País arrasado pelo governo Bolsonaro, a falta de renda atinge em cheio mais de 14 milhões de desempregados. Na nação que já celebrou a redução da miséria, falta até mesmo esperança em dias melhores.


A ONU diz que Já são 49,6 milhões de brasileiros em situação de insegurança alimentar moderada ou grave. Desde o ano passado, a pandemia ajudou a agravar o cenário, mas fica o questionamento: o que fez Bolsonaro para reduzir tais danos? Lembremos que o capitão-presidente e seu ministro da Economia, Paulo Guedes, tinham o objetivo de oferecer apenas 200 reais aos brasileiros no início da crise sanitária. Foi o Congresso Nacional que batalhou e garantiu o auxílio emergencial de 600 reais.



O que vemos em curso é um projeto cruel de ódio ao povo. O teto de gastos públicos prejudica investimentos em áreas básicas com a redução brutal do orçamento. Há um desmonte da rede de proteção social e combate à pobreza. Além disso o caos administrativo em áreas sociais decisivas como a saúde e a educação, com sucessivas trocas de ministros, fragiliza a atenção necessária nesses âmbitos. São elementos que definem a destruição do Estado social brasileiro e que condenam milhões à morte

Em mais um retrato do agravamento da fome no Brasil, imagens de pessoas em busca de comida em um caminhão de lixo em Fortaleza (CE) viralizaram nas redes sociais no último domingo (17).


Foto: Domingos Peixoto

As imagens, feitas no dia 28 de setembro no bairro Cocó, área nobre da capital cearense, somam-se às fotos recentes de um caminhão que distribui restos de carne e ossos no Rio de Janeiro e filas de pessoas em busca de doações de restos de ossos de boi em Cuiabá (MT).

São milhões de brasileiros que não sabem o que vão comer ou, até mesmo, se vão comer. A situação degradante é reflexo de um governo que não cuida do povo. Em diferentes quesitos, Bolsonaro se negou a cumprir seu papel como presidente. Negligenciou vacinas, reduziu o auxílio, não garantiu renda e emprego. Ao contrário. Como tem mostrado a CPI da Pandemia, ele está cada vez mais envolvido com escândalos de corrupção envolvendo a compra de imunizantes, e o reflexo dessa negligencia é ver o povo passando fome.